REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Referências utilizadas nas postagens e para consulta


ARROYO, M. Culturas Juvenis – Música e Escola: O que a literatura problematiza. In: XVI Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM), 2006, Brasília. Disponível em: http://www.anppom.com.br/anais.


BENEDETTI, K. S.; KERR, D. M. O papel do conhecimento musical cotidiano na educação musical formal a partir de uma abordagem sócio-histórica. Revista da Abem. Porto Alegre: 2008, vol. 20, p. 35-44. Disponível em: http://www.abemeducacaomusical.org.br

BRASIL. Congresso Nacional. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Lei
nº 9394/96. Publicada no diário Oficial da União de 17 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: 1998. v. 1 e 3.

___________. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Brasília: 1998.

___________. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: 1998.

___________. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Secretaria de Educação Media e Tecnológica. Brasília, 1999.

___________. Ensino fundamental e médio tem três anos para acrescentar a disciplina música no currículo. Contribuição de Assessoria de Comunicação Social-MEC. Brasília: 2008. Disponível em: http://www.capes.gov.br/servicos/sala-de-imprensa/36-noticias/2271-educacao-basica?format=pdf.

BRÉSCIA, V. L. P. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. Campinas: Átomo, 2003.

BRUNIS, V. Música e Cidadania: o papel da música para o desenvolvimento intelectual, emocional e moral do indivíduo. Disponível em: http://www.virtu.ufjf.br/artigo%202a24.pdf

CASTILHO, E. G. O ensino de música no contexto escolar. Revista Online Bibl. Prof. Joel Martins, Campinas, v.2, n.2, p.181-192, fev. 2001. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/etd/viewarticle.php?id=348&layout=abstract&locale=tr&locale=e

CASTRO P. Os benefícios psicológicos da aula de música: um estudo científico com adolescentes de 5as. e 6as. séries do ensino público brasileiro. 2007. 364 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

CHERNAVSKY, Anália. Um Maestro no Gabinete: música e política no tempo de Villa-Lobos. 2003. 243 f. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

DUARTE, M. A.; MAZZOTTI, T. B. Representações sociais da música: aliadas ou limites do desenvolvimento das práticas pedagógicas em música? Revista Educação e Sociedade. Campinas: 2006, vol. 27, nº 97, p. 1283-1295. Disponível em: www.cedes.unicamp.br.

DURKHEIM, Émile. Definição de educação. In: Educação e sociologia. 3. ed. Tradução de Lourenço Filho. São Paulo: Melhoramentos, 1952. p. 29-32. Disponível em: http://www.pedagogia.incubadora.fapesp.br.

ESPERIDIÃO, Neide. Conservatórios: Currículos e Programas sob Novas Diretrizes. In: XIII Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música (ANPPOM), 2001, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: UFMG, 2001, p. 408-416.

FIGUEIREDO. S. L. F. Educação musical nos anos iniciais da escola: identidade e políticas educacionais. Revista da ABEM. Porto Alegre: 2005, v. 12, p. 35-44. Disponível em: http://www.abemeducacaomusical.org.br/Masters/revista12/revista12_artigo3.pdf.

FLAUTISTA, C. V. Implicações da anunciada reforma do ensino artístico no ensino vocacional de música. Revista Autor. Set. 2009. Disponível em: http://www.revistaautor.com

FREITAS, J. Linguagem natural e música em Rousseau: a busca da expressividade. Revista Transformação, São Paulo, n. 31, p. 53-72, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/trans/v31n1/v31n1a03.pdf.
GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. São Paulo: Nova Cultural, 1995.

GUIMARÃES, M. A. B. O Canto Coletivo na Educação Infantil e no Ensino Fundamental. 2003. 232 f. Dissertação (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

HELLER, A. A.. Ritmo, motricidade e expressão: o tempo vivido na música. 176 f. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: http://www.tede.ufsc.br/teses/PEED0424.pdf.

HOLLER, M. T. Uma história de cantares de Sion na terra dos brasis: a música na atuação dos jesuítas na América Portuguesa. 2006. 345 f. Dissertação (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

HUMMES, J. M. Por que é importante o ensino de música? Considerações sobre as funções da música na sociedade e na escola. Revista da ABEM, Porto Alegre, V. 11, 17-25, set. 2004. Disponível em:

ILARI, Beatriz. A música e o desenvolvimento da mente no início da vida: investigação, fatos e mitos. Revista eletrônica de musicologia: 2005, vol. 06. Disponível em: www.rem.ufpr.br/REMv9-1/ilari.html.

LINO, D. L.. Música é... cantar, dançar... e brincar! Ah, tocar também!. In: CUNHA, S. R. V. (Org.). Cor, som e movimento: a expressão plástica, musical e dramática no cotidiano da criança. Port Alegre: Mediação, 2005.

LOPES, M. R. B. Temas gregorianos em quatro obras orquestrais entre os séculos XIX e XX. 2006. 83 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000398077.

LOUREIRO, A. M. A. Ensino da Música na Escola Fundamental: dilemas e perpectivas. Revista do Centro de Educação: 2003, vol. 28, nº 01. Disponível em: www.revistacentroeducacao.com.br.
LOUREIRO, A. M. A.; DALBEN, A. I. L. F. O ensino de música na educação infantil: entre o discurso e a prática. In: VII Seminário Redestrado – Nuevas Regulaciones em América Latina, 2008, Buenos Aires. Disponível em: http://www.fae.ufmg.br/estrado/cdrom_seminario_2008/textos/trabajos/O%20ENSINO%20DE%20M%DASICA%20NA%20EDUCA%C7%C3O%20INFANTIL%20ENTRE%20O%20DISCURSO%20E%20A%20PR%C1TICA.pdf.

MÁRSICO, L. O. A criança e a Música: um estudo de como se processa o desenvolvimento musical da criança. Rio de Janeiro: Globo, 1982.

MAZZEU, R. B. Heitor Villa-Lobos: questão nacional e cultura brasileira. 2002. 253 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

MEYER, A. T. Fantasia para Criança e Escola: uma proposta de restabelecimento do ensino de música nas escolas de ensino fundamental. 2000. 172 f. Dissertação (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

OLIVEIRA, R. M. A música-educação no ensino médio das escolas públicas: uma prática efetiva para formação de jovens. 2008. 35 f. Monografia (Especialização em Elaboração, Gestão e Avaliação de Projetos Sociais em Áreas Urbanas), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em: http://www.cecaps.fafich.ufmg.br/monografias/ROSALI_MONTEIRO.pdf.

PENNA, Maura. Não basta tocar? Discutindo a formação do educador musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, V. 16, 49-56, mar. 2007. Disponível em:

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971.


PORCHER, Louis. Educação Artística: luxo ou necessidade? São Paulo: Summus, 1982.

QUEIROZ, L. R. S.; MARINHO, V. M. A formação continuada de professores de música frente à nova realidade da educação musical nas escolas de João Pessoa. 2007. Disponível em: http://www.anppom.com.br/anais/anaiscongresso_anppom_2007/educacao_musical/edmus_LRSQueiroz_VMMarinho.pdf

ROMANELLI, G. O espaço da música nas séries iniciais do ensino fundamental e sua mediação pelo professor unidocente. In: XIX Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do Setor de Educação, Paraná: UFPR. Disponível em:

SANTOS, G. C. Pesquisa bibliográfica mediatizada pelas novas tecnologias. Campinas: 2005. Disponível em www.unicamp.br/biblioteca.

SAVIANI, D. A Educação Musical no Contexto da Relação entre Currículo e Sociedade. Revista de Ciências da Educação. São Paulo: 2003, ano 05, n. 09, p. 321-329.

SCHROEDER, S. C. N. Reflexões sobre o conceito de musicalidade: em busca de novas perspectivas teóricas para a educação musical. 2005. 210 f. Dissertação (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SILVA, M. B. G. Organização curricular da escola e avaliação da aprendizagem. 2006. Disponível em: http://www.pead.faced.ufrgs.br/sites/publico/eixo5/organizacao_escola/modulo2/texto_base.pdf.

SNYDERS, Georges. A escola pode ensinar as alegrias da música? 3 ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SPANAVELLO, C. S.; BELLOCHIO, C. R. Educação musical nos anos iniciais do ensino fundamental: analisando as práticas educativas de professores unidocentes. Revista da ABEM, Porto Alegre, V. 12, 89-98, mar. 2005. Disponível em:

TIBEAU, C. C. P. M. Motricidade e música: aspectos relevantes das atividades rítmicas como conteúdo da educação. Revista Brasileira de Educação Física, Esporte Lazer e Dança.  São Paulo, v. 1, n. 2, p. 53-62, jun. 2006. Disponível em: http://www.refeld.com.br/pdf/29.06/motricidade.musica.pdf.
UNGLAUB, Tânia Regina da Rocha. O Ensino da Música no Processo Educativo: implicações e desdobramentos nas series iniciais do ensino fundamental. 2000. 165 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

WALLON, Henri. O papel do outro na consciência do eu. São Paulo: Ática, 1986.


WEIGEL, A. M. G. Brincando de Música: experiências com sons, ritmos, música e movimentos na pré-escola. Porto Alegre: Kuarup, 1988.

ZAN, Betty, et. al. O currículo contrutivista na educação infantil: práticas e atividades. Porto Alegre: Artmed, 2004.